8.4.06

O Messias sofreu como nós e por nós...

Salmo 22
"Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?". Você já deve conhecer essa expressão de dor e desespero. Ela foi usada pelo Senhor Jesus em seus momentos finais no monte Calvário, em Jerusalém ( Mateus 27:46) . Vencido pelo sofrimento físico e profunda angústia espiritual, o Filho de Deus usou a introdução do Salmo 22 para dirigir ao Pai sua derradeira oração na cruz.
Tal atitude ratificou o reconhecimento desse salmo como uma das mais belas e importantes canções messiânicas contidas no saltério.
Os salmos messiânicos possuem uma dupla finalidade:
- Revelar alguma característica histórica concreta do povo ou alguma personagem da narrativa bíblica no Antigo Testamento. O salmo 22 demonstrar o sofrimento existencial de um "escolhido" de Deus, o Rei Davi.
- Evidenciar a dimensão eterna das canções hebraicas. Davi contempla profeticamente os sofrimentos experimentados pelo Messias de Deus na luta pela redenção da humanidade.
Mas, que significa realmente a palavra "Messias", título outorgado apenas a Jesus pela comunidade cristã? É um vocábulo hebraico, correspondente a "Cristo", no grego, que significa "ungido", "escolhido por Deus para uma missão". No Antigo Testamento apenas os salmistas e profetas messiânicos conseguiram antever a grandeza e importância do ministério de Jesus em favor de toda a humanidade. Por isso, nos Evangelhos e no Livro de Atos e nas cartas de Paulo são usadas expressões desses escritores para corroborar os feitos do Senhor.
Na leitura do Salmo 22 encontramos os seguintes paralelos com o sofrimento de Jesus na cruz:
- "Deus meu, Deus meu por que me desamparaste?" - É a oração de Jesus em Mateus 27:46.
- "Mas eu sou verme e não homem; ..." vers. 6-8 - Compare com a reação das pessoas contada em Mateus 27: 39-40
- "Confiou no Senhor; que ele o livre..."vers 8-11 - Compare com a reação dos lideres religiosos em Mateus 27: 41-43
- "Pois cães me rodeiam ;um ajuntamento de malfeitores me cerca." vers. 17 - Compare com a descrição da crucificação entre dois ladrões em Mateus 27:38.
- "Repartem entre si as minhas vestes..." vers. 18 - Compare com a atitude dos soldados que sortearam entre si quem ficaria com as roupas de Jesus.
Impressionante, não é mesmo? Esse martírio, previsto e executado, de acordo com as Escrituras, precede a vitória final do Messias contra o maior de todos os inimigos: a morte. Os que conhecem a história de Messias de Deus, o Senhor Jesus Cristo, sabem que três após a morte na cruz Ele ressuscitou dentre os mortos. E o poder divino que trouxe Jesus à vida é mesmo que garante a vida eterna aos que crêem em seu Nome. Por isso, os cristãos reconhecem o sacrifício do Senhor na cruz como única possibilidade de reconciliação entre Deus e a humanidade.
O salmo 22 encerra a narrativa das desventuras do Escolhido de Deus com um brado de vitória final: "Tudos os limites da terra se lembrarão e se voltarão para o Senhor, e todas famílias das nações adorarão diante dele" (vers. 27) . Essa é também a nossa crença e a nossa maior esperança. Aleluia!!
Dicas para estudar o salmo 22:
- Estude em leitura simultânea com Mateus 27, no Novo Testamento.
- Em algumas versões bíblicas essa narrativa é reconhecida como salmo 21. O conteúdo e o mesmo e a diferença está no uso da Septuaginta como base para composição do livro.
- O que é Septuaginta? - Ou a versão dos 70 (LXX) é a tradução do Antigo Testamento do hebraico para o grego e fez parte da Biblioteca de Alexandria.
- A expressão "Ajelé-hassaar", encontrada na apresentação do salmo, significa provavelmente "corça da manhã" e refere-se a uma melodia hebraica.

Um comentário:

rafael bernard araujo disse...

A transliteração correta é "Ayélet hashachar"(lê-se aiélet hasharrár).

O título completo do Salmo é:
"Lamenatzêach 'al-ayélet hashachar; mizmór leDâvid" (Para o Regente [dos músicos], sobre "A Gazela da Manhã" [nome da música], Salmo de David).

O Senhor seja com teu espírito!