20.12.06

"O SALMO DO ANO" - Parte B

Salmo 44:9-16


E aí, já escolheu o seu "Salmo do Ano"? O meu, pelas razões que mencionei na reflexão anterior,é o Salmo 44 - válido até o final de novembro de 2008 - . Tenho aprendido preciosas lições devocionais em minhas leituras diárias. A linguagem poética dos Salmos apresenta as dores, desencantos e desilusões do salmista perante as crises da vida. Relata também sua perseverança em alcançar a vitória em meio aos embates diários com os problemas. E finalmente, aponta o Senhor como o grande parceiro nessa empreitada. Somente no Altíssimo está a confiança do poeta. Por isso, mais uma vez, convido você a conhecer melhor o Salmo 44 e aplicar os ensinamentos da canção em sua vida.
A segunda parte do salmo abandona a linguagem de louvor e ações de graças. O discurso é amargo e ressentido. O salmista se sente só e abandonado. Não somente ele, mas todo o povo contempla o abandono diante da crise. Será que Deus esqueceu as suas promessas e os abandonou? "Tu nos rejeitaste e dexaste que fôssemos derrotados, ..." (vers. 9a) . Os israelitas não tem mais a benção de Deus para vencer as batalhas. Que tristeza!!
Dê uma olhada nas queixas feitas pelo poeta ao construir o salmo. Perceba a sequência de derrotas que demonstram a ausência da benção de Deus sobre seu povo:
Tivemos que fugir e nossos inimigos nos roubaram (vers. 10)
O Senhor nos tratou como ovelhas que seguem para o matadouro (vers. 11a)
Nos tornamos um povo de pouco valor (vers 12)
Nosso vizinhos debocham de nós (vers. 13)
Somos motivo de zombaria e desprezo (vers. 14)
Estamos envergonhados e humilhados(vers. 15)
Nossos inimigos querem vingança (vers. 16)
Já tinha encontrado uma lista de queixas tão grande em suas leituras da Bíblia? Faço outra pergunta, muito mais pessoal: já teve coragem para colocar sentimentos tão negativos diante de Deus em suas orações? O poeta encontra o motivo para tanto sofrimento: Deus aparentemente "suspendeu" sua parceria com o povo escolhido". Será? Que lições podemos aprender em momentos de dúvida e descrença como esses? Como Deus pode usar tais situações para tornar nossa fé mais saudável e madura? Eis as que consigo perceber:
1) A vida é feita de escolhas continuas. E a escolha mais importante é viver em comunhão com Deus. Comungar é conhecer a Deus e sua vontade para nossa vida. Quando os israelitas optaram em conhecer e cumprir a Lei de Deus, a benção do Senhor os fez prosperar por muito tempo. Abandonando a orientação de Deus, enfrentaram todas as mazelas que destaquei aqui no blog. Para conhecer um pouco mais sobre dessa história, dê uma lida em I e II Reis, e, I e II Crônicas, no Antigo Testamento.
2) Sem a benção de Deus sofremos com a baixa auto-estima. O salmista diz: "tornamos nos um povo de pouco valor". Os tempos de glória e vitória já não existem. Só lembrança dos feitos poderosos de outrora e nada mais. Sem grandes realizações no presente, o poeta saudosista quer reencontrar a esperança perdida. Esquece que o Deus do passado e do presente é quem pode novamente revigorar a caminhada do povo.
3) O sentimento de derrota nos torna alvos fáceis dos nossos adversários. De acordo com o salmista, "os inimigos de Israel caçoam e querem vingança". Fragilizados e sem a benção do Altíssimo, os israelitas precisam enfrentar a fúria de adversários derrotados no passado. Vivem uma realidade bem diferente da que é descrita no Salmo 91: "mil poderão cair ao seu lado, dez mil à sua direita, mas nada o atingirá" (vers.7) .
Decididamente é um mau negócio deixar de lado as orientações de Deus para a nossa vida. Afirmo isso com base na Bíblia e na experiência pessoal. MInha vida é o testemunho disso. Quanta mais próximo do Senhor e da sua vontade venço os maiores problemas. Mas, se me permito afastar..........pobre de mim!! Até situações insignificantes conseguem me derrotar. Isso acontece com você também?
Deus abencoe o seu dia!!

Um comentário:

Priscilla disse...

Corôa!!
Pow.. tah mtoooo³ legal o blog! ^^

amei msm!!!

Sempre q der vou passar por aqui!! ^^

;*